cartaz promocional da conversa Evoluir Oeiras sobre desigualdades sociais

Na próxima quarta-feira, dia 12 de maio, às 19h00, debatemos “Como reduzir as desigualdades sociais?” em mais uma sessão do Ciclo de Conversas Evoluir Oeiras.

No segundo município do país com maior rendimento bruto declarado por habitante e o terceiro com maior poder de compra per capita, há quem não queira ver a pobreza e as dificuldades que atingem uma fatia importante da população. Mas as desigualdades (de rendimento, de acesso à educação e ao emprego, de condições de habitabilidade e de mobilidade, entre outras) existem, e é importante trabalhar no sentido de as reduzir o mais possível, por uma sociedade mais justa, inclusiva e solidária.

Os nossos convidados são:

Renato Miguel do Carmo. Professor associado do Departamento de Sociologia do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e investigador no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-Iscte). Atualmente é diretor do Observatório das Desigualdades e coordenador científico do CoLABOR – Laboratório Colaborativo para o Trabalho, Emprego e Proteção Social. Tópicos como as desigualdades socais e territoriais, o Estado social, as políticas públicas, o capital social, as mobilidades espaciais e o trabalho têm sido os temas principais das suas publicações e dos projetos de investigação que tem coordenado. É residente no concelho de Oeiras.

Tiago Robalo. Vive em Oeiras e participa no projeto Literacia para a Democracia, no Bairro dos Navegadores, financiado pelo programa Cidadãos [email protected], sob a alçada da APCEP, associação ALÉM e outras associações. É formado em Física pela Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa onde faz investigação. A nível profissional a sua vida dividiu-se genericamente entre a ciência e a gestão empresarial, mas, como nem só de salário vive uma pessoa, desde os 13 anos que tem uma participação associativa muito ativa – quase sempre na esfera social e da igualdade. Morou no bairro pré-fabricado de Pedrouços, que foi realojado no bairro social do Casalinho da Ajuda, onde também morou alguns anos.

Vera Burnay. Trabalhou na Provedoria de Justiça como responsável da área de infância e juventude. Foi jurista cooptada na Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ) de Oeiras. Foi técnica de dinamização comunitária na TESE- Agência de Desenvolvimento onde trabalhou com jovens na construção de projetos de vida. Desde então e até a atualidade, é formadora na área das competências para a empregabilidade e organiza mentorias de aproximação dos jovens ao mercado de trabalho. A experiência de trabalho comunitário trouxe-lhe uma noção concreta das dificuldades reais vividas pelos jovens no seu percurso educativo e formativo, acesso ao mercado de trabalho, habitação e mobilidade. Reside no concelho de Oeiras.

A Conversa será moderada por José Catela. Lisboeta de nascimento, locais de estudo e de trabalho, mudou-se, no início deste século, para Linda-a-Velha. Formado em Sociologia pelo ISCTE, exerceu a sua atividade profissional sobretudo como gestor de recursos humanos, estando atualmente reformado. Foi dirigente da APSIOT (Sociologia das Organizações e do Trabalho) e da Associação O que faz falta. No âmbito do concelho, integrou a Rede de Cidadania de Oeiras, pertencendo atualmente à Direção da Associação Vamos Salvar o Jamor e à Rede de Moradores Desafiar Algés.

Não perca, na próxima quarta-feira às 19h00 em direto no YouTube, Facebook e Twitter do movimento Evoluir Oeiras. Acompanhe e participe com questões ou comentários.