A Associação Evoluir Oeiras denunciou um grave problema de segurança na Avenida Senhor Jesus dos Navegantes, em Paço de Arcos entre a Rua Quinta de Coruche e o nº 18-B da mesma, que comunicamos com caráter de urgência ao Presidente da Câmara Municipal de Oeiras, à Vereação do Executivo Municipal com responsabilidade do pelouro e aos serviços gerais da Câmara Municipal de Oeiras bem como à Polícia Municipal de Oeiras, à Polícia de Segurança Pública (PSP) –  Divisão de Oeiras e, dada a falta de resposta, também à Provedora de Justiça. Veja o texto da queixa

No dia em que o Município de Oeiras anunciou que começou o ano com mais estacionamento automóvel em Paço de Arcos, a escassos metros, os primeiros dias do ano têm sido assim, um inferno, mas para quem anda a pé, ou tenta aceder ao comboio, claro. Os autarcas do executivo de Oeiras deviam abdicar da sua viatura com motorista e experimentar, por uma vez, serem peões neste concelho. 

Mesmo ao lado foi inaugurado o novo parque de estacionamento em Paço de Arcos. Deve ter sido decidido em conversa com a tela do Marquês de Pombal. Ora vejamos: 

  1. Os automobilistas saem do parque e não têm passeio, nem passadeira, nem sequer lancis rampeados. Um cidadão de mobilidade condicionada simplesmente não vai conseguir chegar a lado algum. 
  2. Os carros acumulam-se à porta do parque de estacionamento. Os autocarros da Carris Metropolitana ficam estacionados na via da direita da Avenida. Estará o parque cheio? 
  3. Não. Está vazio. Completamente vazio.  
  4. O parque não tem um único lugar para bicicletas. Mas tem para motos. Espaço não faltava.  

Veja o vídeo:

siga-nos no YouTube >

É preciso#evoluiroeiras

💪A associação Evoluir Oeiras voltou a submeter uma participação pública sobre o empreendimento AQUATERRA no Alto da Montanha, Carnaxide, no âmbito da consulta levada a cabo pela CCDR-LVT no contexto da Avaliação Ambiental.

🤷 É chocante que seja sequer possível propor-se um empreendimento com este nível de impacte numa área sensível, implicando com o sistema hidrológico da bacia da Ribeira de Algés, numa área crítica para a retenção e infiltração de águas.

👀Da mesma forma, é surpreendente que seja sequer equacionado implementar campos de jogos sobre troços do Aqueduto das Francesas, património de relevante interesse cultural e sob regime de proteção, entre um conjunto de ações que são alvo de impactes referenciados em todo o processo.

🛻🛻🛻 Para o funcionamento viário resultado do aumento expectável da circulação automóvel de um equipamento desarticulado da rede de transportes públicos, a dimensão das infraestruturas necessárias impressiona, ocupando com impacte áreas de Reserva Ecológica.

😢 Em suma, é a oportunidade final que se perde de tentar ligar Monsanto à Serra de Carnaxide, colmatando a última ligação ainda possível, graças à desadequação do PDM de Oeiras, assente num modelo de betonização e com a permissão das entidades licenciadoras.

💥Esta fase de Avaliação Ambiental acaba por significar um processo de tentativa de minimizar alguns dos impactes, situação que não foi atingida conforme expusemos na nossa participação.

✍️ Vamos continuar interventivos neste processo.

É preciso #EvoluirOeiras

Oeiras, 05 de Janeiro de 2023 

A Direção da “Evoluir Oeiras – Associação”